Colisão, Interação e Distorção de Galáxias

1. Galáxias das Antenas
Esta nova imagem das Galáxias das Antenas, feita pelo Hubble, é a mais nítida desta fusão de galáxias.

As galáxias espirais começaram a interagir há algumas centenas de milhões de anos, fazendo das Galáxias das Antenas um dos exemplos mais próximos e mais novos de um par de galáxias em colisão. 

Quase a metade dos objetos que tem luz fraca nesta imagem são jovens aglomerados contendo dezenas de milhares de estrelas.

As bolhas laranja à esquerda e à direita do centro da imagem são os dois núcleos das galáxias originais e consistem principalmente de estrelas velhas atravessadas por filamentos de poeira, que aparecem em marrom na imagem.  

As galáxias são pontilhadas com brilhantes regiões de formação de estrelas azuis cercadas por gás brilhante de hidrogênio, que aparece na imagem em cor de rosa.

Esta imagem permite aos astrônomos uma melhor distinção entre as estrelas e os conjuntos de super estrelas criados na colisão de duas galáxias espirais. 

Ao datar por idade os aglomerados na imagem, os astrônomos acham que apenas cerca de 10 por cento dos aglomerados recém-formados não sobreviverão além dos primeiros 10 milhões de anos. 

A grande maioria dos aglomerados de super estrelas formados durante esta interação irá se dispersar, como estrelas individuais tornando-se parte do fundo liso da galáxia. 

Acredita-se que cerca de uma centena dos aglomerados de estrelas mais massivos vai sobreviver para formar aglomerados de estrelas globulares regulares, semelhantes aos aglomerados globulares encontrados em nossa própria galáxia a Via Láctea.

As galáxias das antenas tem esse nome devido as longas antenas que como "braços" se estendem para muito longe dos núcleos das duas galáxias, sendo melhor observado por telescópios terrestres. 

Estas "caudas de maré" foram formadas durante o encontro inicial das galáxias uns 200 a 300 milhões de anos atrás. 

Elas nos dão uma prévia do que pode acontecer quando nossa galáxia a Via Láctea colidir com a vizinha galáxia Andrômeda em vários bilhões de anos no futuro.


                           2. NGC 4038/4039 - Galáxias das Antenas


A imagem acima mostra as Galáxias das Antenas em toda a sua extensão, inclusive as caudas de maré, foi tirada com telescópio 20" do Kitt Peak National Observatory. 


3. Galáxias Espirais NGC 3718 e NGC 3729


A galáxia NGC 3718 tem forma impressionantemente distorcida e em seus braços há vários aglomerados novos de estrelas azuis.

Nesta imagem observamos grande quantidade de galáxias algumas próximas e outras distantes da NGC 3718, na direção da constelação da Ursa Maior.


No lado direito está a NGC 3729, uma grande galáxia espiral, a cerca de 150.000 anos-luz de distância da NGC 3718, as duas galáxias estão a cerca de 52 milhões de anos-luz de distância da Terra.


O Grupo Hickson 56 que, um aglomerado de galáxias, também pode ser visto acima da NGC 3718, que está a cerca de 400 milhões de anos-luz de distância da Terra, ele é composto por cinco galáxias interagindo entre si.



Fonte: 
1. Hubble Site/News Center
Crédito: NASA, ESA, e Hubble Heritage Team (STScI /AURA) - ESA/Hubble

2. Hubble Site/News Center
Crédito de imagem: Bob e Bill Twardy/Adam Block/NOAO/AURA/ NSF
Crédito da imagem: David Malin




Postagens mais visitadas