Belas Imagens Astronômicas



                                                       1. A Nebulosa da Borboleta


Este magnífico objeto astronômico se parece com uma delicada borboleta, mas está longe de ser sereno.

O que se assemelham a asas de borboleta tem uma envergadura com mais de 3 anos-luz, e são formadas por gás aquecido a mais de 36.000 graus Fahrenheit. 

Esse gás sai rasgando através do espaço em uma velocidade de mais de 600.000 milhas por hora, rápido o suficiente para viajar da Terra a Lua em 24 minutos!

A estrela que está morrendo, uma vez teve o tamanho equivalente a cinco vezes a massa do Sol, é o centro desta fúria e tem ejetado seu envelope de gases e agora libera um fluxo de radiação ultravioleta que faz o material fundido brilhar. 

Com uma temperatura superficial estimada em cerca de 250.000 graus centígrados, a estrela central da NGC 6302 tornou-se excepcionalmente quente, brilhando intensamente em luz ultravioleta, mas está escondida da nossa visão por um denso toro de poeira escura que pode ser observado no centro da imagem. 

NGC 6302 está localizada na Constelaçãp do Escorpião (Scorpius), a cerca de 4.000 anos-luz de distância.
Este close-up colorido foi gravado em 2009 pela Wide Field Camera 3 do Telescópio Espacial Hubble. 


                                  2. Nebulosa Esquimó


A Nebulosa Esquimó está loclizada a cerca de 4.200 anos-luz de distância, ma direção da Constelação dos Gêmeos.

Esta nebulosa planetária NGC 2392, começou a se formar 10 mil anos atrás, quando uma estrela que se tornou uma gigante vermelha começou a arremessar para fora suas camadas exteriores em forma de bolhas de gás e matéria, formando um intrincado padrão das camadas mais externas da estrela.

Nesta imagem composta da NGC 2392, há dados de raios-X do Chandra em roxo, mostrando a localização de gás a milhões de graus perto do centro da nebulosa.

Os dados do Hubble estão em vermelho, verde e azul, mostram o intrincado padrão das camadas mais externas da estrela que foram ejetados. 

Os filamentos em forma de cometa se formam quando o vento mais rápido e radiação da estrela central interagem com conchas frias de poeira e gás que foram ejetados pela estrela.

Os dados do Chandra mostram que a NGC 2392 tem níveis anormalmente elevados de emissão de raios-X superaquecido ao redor do núcleo denso e quente da estrela.

Isso leva os pesquisadores a deduzir que há uma estrela companheira invisível com a estrela central da NGC 2392. A interação entre um par de estrelas binárias pode explicar os níveis elevados de emissão de raios-X encontrados lá.

Texto baseado nas informações do Observatório 
de Raios-X Chandra da NASA. 
Fontes:
1: NASA/Hubble Site/News Center
Crédiro de imagem: NASA, ESA and the Hubble SM4 ERO Team
http://hubblesite.org/image/2616/news_release/2009-25
https://apod.nasa.gov/apod/ap130607.html

2. NASA/Observatório Chandra de Raios-X
Crédito de imagem: 
Raio-X: NASA/CXC/IAA-CSIC/ N. Ruiz et al.; 
Optical: NASA / STScI
http://chandra.harvard.edu/photo/2013/ngc2392/
http://hubblesite.org/newscenter/archive/releases/2000/07/image/a/




Postagens mais visitadas