Fita Extraordinária de Gás Intergalático Descoberto

Uma fita extraordinária de gás quente que se arrasta atrás de uma galáxia como uma cauda foi descoberta usando dados do Observatório de Raios-X Chandra da NASA. 


Na estrema direita da imagem está a fita ou cauda em forma de uma vasta nuvem de gás intergaláctico quente, azul em raios X, seguindo a galáxia abaixo dela.

Observe que a galáxia e a cauda estão totalmente separadas, os pesquisadores acreditam que isto pode ser a evidência de que o gás foi completamente retirado da galáxia.

Com um comprimento impressionante de pelo menos 250.000 anos-luz, esta fita ou cauda tem mais de duas vezes o diâmetro de toda a nossa galáxia, a Via Láctea, é provavelmente a maior cauda já detectada, até agora.*

A cauda contém gás a temperaturas de cerca de dez milhões de graus, cerca de vinte milhões de graus mais frio do que o gás intergaláctico, mas ainda quente o suficiente para brilhar intensamente em raios-X que o Chandra pode detectar.

Nesta nova imagem composta dados de raios-X do Chandra (azul) foram combinados com dados em luz visível do Isaac Newton Grupo dos telescópios (amarelo), nas Ilhas Canárias, na Espanha. 


Imagem em raios-X do Aglomerado Galático Zwicky 8338 feita pelo Observatório de Raios-X Chandra da NASA. 

A cauda está localizada no aglomerado de galáxias Zwicky 8338, na constelação Hércules, a quase 700 milhões de anos luz de distância.


Imagem em luz visível do Aglomerado de Galáxias Zwicky 8338 feito por Isaac Newton Grupo dos telescópios, nas Ilhas Canárias, na Espanha. 

Os pesquisadores acreditam que a cauda se foi formada por uma galáxia conhecida como CGCG254-021, ou talvez um grupo de galáxias dominadas por essa grande galáxia, que tenha passado através do gás quente intergalático de Zwicky 8338, e a pressão exercida por este movimento rápido arrancou gás da galáxia.

Uma pesquisa independente envolvendo observações no infravermelho indica que CGCG254-021 é a que tem a maior massa no aglomerado de galáxias Zwicky 8338. 

"As observações no infravermelho, juntamente com modelos de como as galáxias evoluem" mostraram que, no passado recente a galáxia CGCG254-021 teve o maior índice de formação de estrelas do que todas as outras galáxias do aglomerado. No entanto, não há nenhuma evidência de novas estrelas sendo formadas, provavelmente porque o gás foi esgotado na formação da cauda.


*Data de Observação 04 de janeiro de 2013
Fonte: Observatório de Raios-X Chandra da NASA. 
Crédito de imagem:
Raio-X: NASA / CXC / Universidade de Bonn / G. Schellenberger et al; 
Optical: INT (Isaac Newton Grupo )

Saiba mais no link:
http://chandra.harvard.edu/photo/2015/z8338/

Uma outra galáxia foi notícia em 2014, por ter sido literalmente rasgada pelo gás intergalático do seu aglomerado. Saiba mas no link abaixo. http://na-linha-d-agua-imagensastronomicas.blogspot.com.br/2014/04/eso-137-001-galaxia-rasgada-pelo-gas.html







Postagens mais visitadas