Imagens e Informações Sobre Um Monstro Galático


Esta galáxia gigante ativa NGC 1275 está no centro do Aglomerado de Galáxias Perseus e também conhecida como Perseus A, uma fonte de rádio e uma forte emissora de raios-X devido à presença de um buraco negro central.  

Detalhes e estrutura de rádio, comprimentos de ondas ópticos e de rádio combinam para uma representação esteticamente agradável, mas mesmo assim violenta dos eventos que estão acontecendo no centro da galáxia.

Dados de raios-X da Advanced CCD Imaging Spectrometer do Chandra e dados de rádio de NRAO foram combinados com comprimentos de onda ópticos no vermelho, verde e azul da Advanced Camera for Surveys do Hubble. 

Nesta imagem composta, os dados de raios-X contribuem para revelar as conchas violeta moles em torno do lado de fora do centro. Os lobos rosados em direção ao centro da galáxia são de frequências de rádio. A emissão de rádio, traçando jatos do buraco negro, preenche as cavidades de raios-X. 

Contribuição dos dados ópticos do Hubble: as faixas de poeira, regiões de formação estelar, filamentos de hidrogênio, estrelas e galáxias em primeiro plano e no plano de fundo.

Fonte: Chandra X-ray Observatory Center 
Crédito de imagem: NASA , ESA , e L. Frattare ( STScI )

Raio-X: NASA /CXC/IoA/A.Fabian et al .; 
Rádio: NRAO / VLA / G. Taylor; 
Optical: NASA, ESA, a herança de Hubble (STScI / AURA) - ESA / Hubble e A. Fabian (Instituto de Astronomia da Universidade de Cambridge, Reino Unido)

http://chandra.harvard.edu/photo/2008/perseus/




A NGC 1275 é o membro central dominante do grande aglomerado de galáxias Perseus e uma fonte prodigiosa de emissão de raios-x e rádio. 

Este monstro galático agrega ou atrai a si matéria, até mesmo galáxias inteiras caem nele, em última análise, é a alimentação de um buraco negro supermassivo existente no núcleo da galáxia NGC 1275.

Esta imagem em cores compostas, recriada a partir de dados dos   arquivos do Telescópio Espacial Hubble destaca os resultantes detritos galácticos e filamentos de gás brilhante, alguns com até 20.000 anos-luz de comprimento. 

Os filamentos persistem em NGC 1275, apesar da turbulência de colisões galácticas poder destruí-los. O que mantém os filamentos juntos? Observações indicam que as estruturas, empurradas para fora do centro da galáxia pela atividade do buraco negro, são mantidos juntos por campos magnéticos. 

Também conhecida como Perseus A, NGC 1275 se estende por mais de 100.000 anos-luz e fica a uma distância de cerca de 230 milhões de anos-luz.

Fonte: Astronomy Pictures of the Day
Crédito da imagem: Dados - Hubble Legado Archive , ESA, NASA; Processamento - Al Kelly

http://apod.nasa.gov/apod/ap131006.html







Nesta imagem do Hubble uma galáxia espiral empoeirada parece estar girando como um cata-vento na borda de uma galáxia maior, a brilhante NGC 1275.               

Esta imagem da NGC 1275, tirada com Wide Field Planetary Camera 2 do Hubble, apresenta vestígios de uma estrutura espiral acompanhada por faixas de poeira e regiões azuis brilhantes que indicam áreas de formação de estrelas.

Observações detalhadas indicam que o material empoeirado pertence a um sistema espiral visto quase de lado no primeiro plano. 

A segunda galáxia, que está além do primeiro plano, é uma gigante elíptica com uma peculiar estrutura espiral fraca em seu núcleo. 

Os astrônomos creditam que estas galáxias estão em ritimo de colisão a uma velocidade de mais de 6 milhões milhas por hora.

A NGC 1275 está a cerca de 235 milhões de anos-luz de distância da Terra na constelação de Perseus no centro de um grande aglomerado de galáxias conhecido como o Aglomerado Perseus, que emite um sinal forte nas frequências de raios-X e de rádio. 

A colisão das galáxias faz com que o gás e a poeira já existentes na galáxia brilhante central girem no centro do objeto. 

A emissão de raios-X e rádio indica a provável existência de um buraco negro no centro da galáxia brilhante.

Enquanto o material empoeirado escuro na imagem do Hubble cai para dentro, NGC 1275 exibe estruturas filamentosas intrincados em uma escala muito maior fora da imagem. Esta é uma característica típica de galáxias brilhantes. 

Evidência observacional adicional de fortes interações entre pelo menos duas galáxias, e, possivelmente, algumas galáxias menores, inclui a formação de novas estrelas e grandes aglomerados de estrelas. 

Embora semelhante em forma para aos antigos aglomerados globulares na Via Láctea, a NGC 1275 tem aglomerados muito mais jovens que contêm de 100.000 a um milhão de estrelas cada.

Fonte: Hubble Site/News Center
Crédito de imagem: NASA e O Hubble Heritage Team (STScI / AURA)
Agradecimento: M. Donahue ( STScI ) e J. Trauger (JPL)
http://hubblesite.org/newscenter/archive/releases/2003/14/image/a/ 


NGC 1275, Perseus A, 3C 84

Image Type: Astronomical/Illustration
Illustration Credit: NASA and L. Frattare (STScI)

http://hubblesite.org/newscenter/archive/releases/2003/14/image/c/





Postagens mais visitadas