Nuvens Densas do Gás de Estrelas



NGC 2818 é uma bela nebulosa planetária que está a 10.000 anos-luz de distância da Terra, na direção da constelação do sul Pyxis (a Bússola), e tem cerca de 4 anos-luz de diâmetro. 

Lembrando que nebulosa planetária é a mortalha gasosa de uma estrela parecida com o Sol que está nos últimos estágios da sua existência.

Um vislumbre do futuro que aguarda o nosso Sol, depois de passar mais ou menos cerca de 5 bilhões de anos utilizando constantemente o hidrogênio em seu núcleo, e, finalmente, o hélio como combustível de fusão nuclear.  

A nebulosa NGC 2818 parece estar dentro do aglomerado estelar aberto NGC 2818A, mas precisas medições de velocidade mostraram que a própria velocidade da nebulosa é muito diferente da velocidade das estrelas do aglomerado. 

O que significa que NGC 2818 está apenas por acaso na longo da linha de visão do aglomerado de estrelas NGC 2818A. 

A imagem do Hubble é composta de exposições através de filtros de banda estreita, apresentando emissão de nitrogênio, hidrogênio e oxigênio na nebulosa com tons de vermelho, verde e azul.

Fonte: Astronomy Picture of the Day
Crédito de imagem: NASA, ESA, Hubble Heritage Team (STScI / AURA)





Em outubro de 1998 o Telescópio Espacial Hubble da NASA capturou esta nítida imagem da nebulosa planetária M57, conhecida como a Nebulosa do Anel.

A estrela que formou esta nebulosa de gás denso explodiu suas camadas externas há milhares de anos.

A foto revela alongados aglomerados escuros de material incorporado ao gás na borda da nebulosa e a estrela central que flutua em uma névoa azul de gás quente. 

A M57 tem de cerca de um ano-luz de diâmetro e está localizada a cerca de 2.000 anos-luz da Terra na direção da constelação de Lyra.

As cores são aproximadamente verdadeiras; a imagem da cor foi montado a partir de três fotos em preto-e-branco tiradas através de filtros de cor diferentes com campo largo do telescópio Hubble câmera planetária 2. 

Azul - emissão de hélio muito quente, que está localizada principalmente perto da estrela central. 

Verde - oxigênio ionizado, que está localizado mais longe da estrela. 

Vermelho - nitrogênio ionizado, que é irradiado a partir do gás mais fresco, localizado mais distante da estrela. 

As gradações de cor ilustram como o gás brilha porque é banhado por radiação ultravioleta da estrela central remanescente, cuja temperatura da superfície é de 216.000 graus Fahrenheit branco-quente (120 mil graus Celsius).

Fonte: Hubble Site/News Center
Crédito: A herança de Hubble Team (AURA/STScI/ NASA)

http://hubblesite.org/newscenter/archive/releases/1999/01/image/a




Uma bela e mais nítida foto da Nebulosa do Anel, que só não é mais famosa do que os anéis de Saturno. 

O recente mapeamento sobre a expansão da estrutura da nebulosa M57 em 3-D, com base, em parte, nesta imagem Hubble claro, indica que a nebulosa é, um anel de donut-like relativamente denso envolto em uma nuvem de gás brilhante em forma de uma bola de futebol.

Esse manto gasoso envolve o que restou de uma estrela que uma vez foi como nosso Sol e agora é um pequeno ponto de luz branco visto no centro da nebulosa emitindo intensa luz ultravioleta que ioniza os átomos de gás.

Na foto, a cor azul no centro é hélio ionizado, a cor turquesa do anel interno é o brilho de hidrogênio e oxigênio, e a cor avermelhada do anel externo é de nitrogênio e enxofre. 

Fonte: Astronomy Picture of the Day 
Crédito de imagem: NASA, ESA, e a herança do Hubble (STScI/AURA) - ESA/Hubble

http://apod.nasa.gov/apod/ap130605.html





Postagens mais visitadas