Nebulosa do Véu - Remanescente de Supernova Gigantesca



 A Nebulosa Véu  é uma  grande remanescente de supernova - nuvem de detritos em que se expande depois que uma estrela massiva chega ao fim ao explodir.

A imagem acima é da parte oriental da Nebulosa do Véu, nela a emissão de átomos de hidrogênio é mostrado em vermelho e a de átomos de oxigênio em tons de azul e verde.

Fonte: Astronomy Picture of the Day
Crédito de imagem: Ken Crawford (Rancho Del Sol Observatory)




A foto acima é da parte ocidental da Nebulosa do Véu conhecida como Vassoura de Bruxa, ctalogada como NGC 6960, que abrange uma área de cerca de 35 anos-luz. 

A estrela brilhante é 52 Cygni, visível a olho nu a partir de um local escuro, mas sem relação com o antigo remanescente de supernova.

Fonte Astronomy Picture of the Day
Crédito de imagem: Martin Pugh (Espelho Observatório do Céu)

http://apod.nasa.gov/apod/ap130529.html



Uma estrela massiva explodiu e e tornou-se uma supernova e a luz da explosão chegou à Terra há mais de 5.000 anos. 

O material expelido formou uma nebulosa totalmente diferente do que estamos acostumados a ver. 

Filamentos formados por gás brilhante e poeira formaram a Nebulosa do Véu que abrange uma área de 70 anos-luz. 

A Nebulosa do Véu é tão grande que suas partes mais brilhantes são reconhecidas como nebulosas isoladas que incluem a Vassoura de Bruxa (NGC  6960), na parte inferior da imagem, o Triângulo de Pickering (NGC 6979), abaixo e à direita do centro. No topo está IC 1340.

Fonte: Astronomy Picture of the Day 
Crédito de imagem:Martin Pugh 






Postagens mais visitadas