Brilhantes pontos de luz em M51



Depois de quase um milhão de segundos de tempo de observação da NASA com Observatório de Raios-X Chandra revelou-se a galáxia M51, semelhante à Via Láctea brilhando com centenas de pontos de luz de raios-X.

A galáxia espiral M51 (NGC5194), ou Wirhlpool como também é  conhecida, está localizada a cerca de 30 milhões de anos-luz da Terra.

A Whirpool tem braços espirais espetaculares cheios de estrelas e poeira e nesta nova imagem composta os dados do Chandra são os em cor púrpura e os do Hubble são em vermelho e azul.

A maioria das fontes de luz são binários de raios-X (XRBs), sistemas formados por pares de objetos. As observações do Chandra revelam que pelo menos dez dos XRBs na M51 são suficientemente brilhantes para conter buracos negros.
         
Em oito destes sistemas os buracos negros são, provavelmente, a captura de material de estrelas companheiras muito mais massivas do que o Sol.       

Os astrônomos observam a galáxia espiral M51 há décadas com o Chandra e tem informações importantes sobre como as fontes de raios-X, que contém buracos negros, se comportaram ao longo do tempo. 

Estes buracos negros estiveram consistentemente brilhantes ao longo desses dez anos de observação.

Os resultados sugerem que estrelas de alta massa nessas fontes de raios-X também tem fortes ventos que permitem um fluxo constante de material para o buraco negro.

A diferença entre a Via Láctea e a Whirlpool é que ela está no meio de uma fusão com uma galáxia menor, a companheira vista no canto superior esquerdo da imagem.

Os cientistas acreditam que essa interação galática está provocando ondas de formação de estrelas.

A maior massa das estrelas recém-formadas vai evoluir em poucos milhões de anos e entrar em colapso para formar estrelas de nêutrons ou buracos negros.

A maioria dos XRBs contendo buracos negros em M51 estão localizados perto de regiões onde as estrelas estão se formando, mostrando a sua conexão com a colisão galática que se aproxima. 

Estudos anteriores da galáxia M51 com o Chandra revelou pouco mais de 100 fontes de raios-X. Mas o novo conjunto de dados, equivalente a cerca de 900.000 segundos de observações feitas pelo Chandra, revela quase 500 fontes de raios-X.

Cerca de 400 dessas fontes estão dentro de M51, e o restante está ou na frente ou atrás da própria galáxia.

Grande parte da emissão difusa de raios-X em M51 vem do gás que foi superaquecido pelas explosões de supernovas de estrelas massivas.


Fonte: Chandra X-Ray Observatory/NASA
Crédito: Raio-X NASAqCXC/Wesleyan Univ/R.Kilgard, etá al; NASA/STScI

















Galáxia espiral M51 e sua pequena companheira em dados ópticos do Hubble.

Fonte: Astronomy Picture of the Day
Crédito: Raio-X NASAqCXC/Wesleyan Univ/R.Kilgard, etá al; NASA/STScI

http://apod.nasa.gov/apod/ap140610.html





Postagens mais visitadas